terça-feira, 29 de novembro de 2016

Meu filho está mordendo outras crianças...e agora?

A mordida é uma situação comum de acontecer com crianças na faixa etária de 1 ano e 6 meses a 3 anos, pois a criança está na fase oral. Tudo o que a criança conheceu até então, sua aprendizagem foi oral: seio materno, a mamadeira, a chupeta, o dedo...

Justamente nesta fase a criança é egocêntrica, ela se vê como o centro do mundo, não tendo noção do outro, nem do que o outro pode sentir.

Assim, quando algum amiguinho resolve pegar o mesmo brinquedo para brincar, mesmo que não esteja brincando com ele, quando ocorre qualquer situação em que é retirado algo dela, ou apenas por ela ter que dividir a atenção da educadora, ela usará a linguagem conhecida por ela que é a mordida!

Existem casos de crianças que mordem seus amiguinhos puramente  como forma de carinho!
Vale lembrar  também que os pais precisam se atentar com suas próprias brincadeiras, pois muitas vezes os próprios pais brincam com seus filhos de morder. Muitas famílias usam a frase:  “ai que lindo... dá vontade de te morder...” e muitos mordem mesmo!

As crianças passam pela fase da mordida, umas com maior, outras com menor intensidade, pois estão exercendo o sentimento de posse sobre os objetos e pessoas. É uma forma de lutar pelo que deseja.

A proposta é redirecionar este comportamento gradativamente, pois apesar de normal, devemos colocar limites e adotar comportamentos socialmente aceitos.

O que fazer?
Em primeiro lugar entenda que é uma reação corporal da criança. É importante conversar firme e carinhosamente com a criança. O papel do adulto é transformar a atitude corporal em uma atitude mediada pela linguagem e sempre fique atento e vigilante e próximo de crianças nesta fase a fim de evitar que a mordida se concretize.
Um outro ponto importante é criar uma rotina de atividades ajudem as crianças a se expressarem e a descarregarem suas tensões, diminuindo a ocorrência das dolorosas mordidas.
Algumas dicas práticas:

- Incentive atividades de manipulação de papel, como rasgar, amassar, rasgar revistas velhas, fazer bolinhas com papel, tudo para aliviar a agressividade;
- Atividades de pintura com pincéis e com os próprios dedos;
- Oportunize momentos de manipulação de massinha: modelar, jogar, bater com força, esticar, etc;
- Deixe a criança explorar as diferentes texturas: ofereça às crianças materiais como algodão, lixa, gelo e coisas moles, como mingau colorido com corante e sagu;
-  Cante com a criança, bata palmas, dance;
-  Incentivar brincadeiras com água e lama no jardim.As situações ao ar livre são essenciais para qualquer criança;
- Conte muitas historinhas, use fantoches e uma entonação de voz atraente e cheia de suspense.
Agora atenção... morder eventualmente é esperado, porém, situações em que a mordida se repete de forma muito intensa merecem atenção, pois mostram um transbordamento afetivo e pode ser sintoma de que algo não vai bem com a criança e que ela precisa de nossa ajuda.

Não tenha medo de procurar ajuda de um psicólogo, este profissional irá analisar o caso e auxiliará a família na condução comportamental da criança.
Qualquer dúvida entre em contato conosco!

Andréa Soares Delfin
Mestre em Políticas Públicas de Educação
Especialista em Psicopedagogia e neuroaprendizagem
Professora Titular do Curso de Pós em Psicopedagogia
Neuropsicopedagoga clínica
ABPp: 12069

Mavy A. Cavalcanti
Crp 06.62427
Psicóloga Terapeuta Cognitiva Comportamental
Coach
Especialista em avaliação comportamento
mavycavalcanti16@gmail.com

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Alfabetizando com criatividade!

A leitura para uns é uma atividade prazerosa, para outros um desafio a conquistar que somente será alcançado através de muito incentivo e criatividade! Cada um aprende de um jeito!
Seja criativo e contemple o multissensorial!